Tipos de Agrupamentos de Dados

Tipos de Agrupamento de Dados

Muito se discute sobre dados, sua natureza, aplicação, métodos de análise e manuseio, mas pra começar, o que seriam dados?

Dados são conjuntos de valores ou ocorrências em estado bruto, características atribuídas a um objeto de estudo. Tendo uma pessoa como objeto de estudo, ela possui características brutas como cor do cabelo, tipo de cabelo, tamanho de cabelo, cor da pele, e as características vão seguindo. Esses valores brutos atribuídos são os dados de estudo, então para cada tipo de estudo, dados específicos vão ser levados em conta, gerando a sua utilidade.

As características de dados podem ser subdivididas de acordo entre dados estruturados e não estruturados. Dados estruturados são dados que possuem organização e relação entre si, portanto podem ser facilmente interpretados por algoritmos de interpretação de dados, como por exemplo a coleta de dados numa tabela de Excel.

Dados não estruturados são de mais difícil análise por não possuir clara ou nenhuma conexão entre si, como por exemplo grupos de posts em redes sociais. Para esse tipo de dados, diferentes formas de análise e gerenciamento de erros é utilizada, conhecida como Big Data.

A quem manipula o dado, cabe o julgamento de prioridades de como ler, interpretar e manipulá-los, por esse motivo, dados são agrupados de diferentes formas, como em vetores, listas, pilhas, filas e árvores.

Um vetor é uma matriz unidimensional, a mais simples das estruturas de dados, geralmente constituída de forma homogênea, onde todos os elementos dele apresentam mesma natureza, como natureza numérica ou booleana.

O tamanho do seu vetor pode ser inserido previamente na sua inicialização, e cada elemento é inserido em um dos seus espaços e atribuído um valor numérico, chamado de índice.

São agrupados continuamente na memória, de fácil e rápido acesso por meio dos seus índices . Ex: vetor contendo os dias da semana, de Domingo a Sábado, em ordem.

A utilização de vetores apresenta problemas na remoção de itens, caso espaços vazios sejam um problema, porque é preciso arrastar todos os elementos subsequentes à remoção para preencher os espaços.

Dessa forma, é recomendado para casos em que os dados são fixos, ou pouco variantes no tempo.

Listas são sequências de dados, de estrutura linear, que funcionam de forma similar a um vetor, mas de forma mais dinâmica, onde os nós da lista são ligados em sequência, partindo do primeiro ao último, único nó que não é ligado em sequência com mais nenhum.

Por esse motivo, para listas encadeadas, basta guardar o primeiro valor.

Pilhas são estruturas que funcionam no esquema LIFO (Last In First Out), onde o último elemento inserido na pilha será o primeiro a ser removido.

Para isso, existem as funções push, para inserir um dado no topo da fila e pop, que a remove.

Filas são estruturas que funcionam no esquema FIFO (First In First Out), onde os elementos que foram inseridos são lidos na ordem em que são inseridos na fila.

Para isso, usam-se as funções queue, para inserir o dado na fila, e dequeue, para retirá-lo.

Árvores são estruturas de dados que, para cada elemento, um ou mais outros elementos são associados.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

LabView Logo

Quer aprender LabVIEW?

Conteúdos Educacionais em seu E-mail

ARTIGOS RELACIONADOS

PARTICIPE, DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Fechar Menu